Na primavera as alterações e instabilidades climáticas variam entre clima seco e algumas chuvas esporádicas, contribuindo para o desenvolvimento de vários tipos de alergias oculares, como conjuntivites.

O olho seco é outra enfermidade que também pode ocorrer por ser mais comum na primavera, ainda mais quando a umidade do ar está muito baixa.

Agravada pela falta de umidade do ar, a polinização de árvores, flores, gramas e ervas é um dos principais agentes desencadeadores de crises alérgicas. Ao lado do aparelho respiratório, os olhos são órgãos muito afetados, apresentando sintomas que merecem mais atenção das pessoas.

O tratamento das alergias oculares de Primavera é basicamente o uso de medicações para o controle dos sintomas. Mas é importante lembrar que cada uma delas tem um remédio específico. O tratamento é individualizado e existem diversos tipos de medicações, sendo que as ações delas também são diferentes. Por isso, a avaliação oftalmológica, tanto para o diagnóstico, quanto para o tratamento e o controle de complicações é imprescindível.

Algumas dicas de prevenção:

• Lavar as mãos e rosto com frequência;
• Evitar coçar os olhos;
• Secar o rosto com toalha de papel, se a opção for toalha de tecido o ideal é trocar o acessório todos os dias;
• Nunca compartilhar máscara, lápis de olho ou delineadores;
• Não se automedique ou compre algum remédio sem indicação e orientação de um médico – cada caso deve ser avaliado individualmente.

Tratamento para olhos secos

A maioria dos tratamentos para olhos secos visam hidratar, relubrificar os olhos ou até mesmo alterar a produção de lágrimas. Porém, algumas atitudes simples podem ser importantes:
Mantenha seu ambiente menos seco. Isso pode significar usar um umidificador.
Use óculos ou óculos de sol para proteger seus olhos do vento e da poeira quando estiver em um ambiente quente e seco.
Descanse os olhos fazendo intervalos regulares, se você passou longos períodos na frente de uma tela de computador ou celular.
Mantenha as pálpebras saudáveis. As pálpebras produzem a parte oleosa do filme lacrimal e, se ficarem inchadas ou inflamadas, podem fazer isso menos bem.
Se você usar maquiagem nos olhos, use removedores suaves e não esfregue as pálpebras. Troque o rímel regularmente e, se suas pálpebras ficarem inchadas ou doloridas, considere uma mudança de marca.

Como Tratar e Prevenir a Conjuntivite

Para tratar a conjuntivite, é importante detectar qual a sua causa. Como ela pode surgir por vírus, bactérias ou outros fatores, cada um tem uma ação específica para ser tratado. Nos casos da causa mais comum, a feita por vírus, não há nenhum tratamento a ser feito, a não ser o uso de soro fisiológico para conter a irritação e fazer a limpeza do local para que não cause outros danos à região ocular.

Para o tratamento de conjuntivite bacteriana deve ser prescrito por médicos, que indicará o uso antibióticos em forma de colírios. Alguns desses colírios são contra indicados para algumas pessoas e pode provocar outros efeitos negativos a saúde, com sérias complicações. Dentre os medicamentos indicados pelos médicos de acordo com a condição física da pessoa, estão o doxiciclina, flanax, meticorten, maxitrol, asmofen, celestamine, celerg, celergin e clordox.